Iniciar sessão
Email Senha
Artigos / Toda a matéria

10.02.2017

Contabilidade | Financeira

Alexandra Domingos | Manuela Duarte | Manuela Sarmento

Desenvolvimento de competências gerais e específicas nos cursos superiores do 1º ciclo de contabilidade: percepção dos estudantes finalistas

Nos últimos anos, todos os cursos superiores em Portugal depararam com alterações significativas relativamente aos anteriores modelos de ensino e os cursos de contabilidade não foram exceção. A adoção do processo de Bolonha implica uma mudança de paradigma educacional que promove sistemas curriculares centrados no estudante, nas aprendizagens ativas e no desenvolvimento de competências. O processo de Bolonha ergueu assim, todo um modelo de aprendizagem, que tem por detrás preocupações ao nível da empregabilidade dos diplomados pelas instituições do ensino superior (IES).

30.01.2017

Contabilidade | Financeira

Carlos Pinho | Lúcia Lima Rodrigues | Maria Anunciação Bastos

Instrumentos financeiros a justo valor: alterações resultantes da crise

Há já alguns anos a esta parte que o justo valor se encontra vertido no normativo Português.
Porém, o Regulamento (CE) n.º 1606/2002 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 19 de julho de 2002 veio, sem dúvida, promover o aumento da sua utilização por parte das entidades. Esse regulamento estipulou a obrigatoriedade de aplicação das Normas Internacionais de Contabilidade/Normas Internacionais de Relato Financeiro (IAS/IFRS) em vigor na União Europeia (UE) e respetivas interpretações a partir de 01/01/2005, a todas as sociedades dos Estados Membros da UE com valores mobiliários admitidos à negociação num mercado regulamentado, na elaboração das suas contas consolidadas, e grande parte dessas IAS/IFRS já contemplavam a utilização do justo valor como base de mensuração para diferentes elementos das demonstrações financeiras.

21.12.2016

Gestão

Bruno Miranda Alves Pereira

Já ouvimos falar sobre... VIII - "Centro de serviços partilhados"

Os serviços partilhados resultam de uma estratégia colaborativa que visa a otimização dos recursos humanos, capital, tempo e outros recursos corporativos, concentrando numa nova unidade de negócio (semi)-autónoma, designada para promover a eficiência, inovar, criar valor, reduzir custos e prestar serviços de excelência a toda a organização.

15.12.2016

Economia

José Ramos Pires Manso | Vítor Manuel de Sousa Gabriel

Análise do comportamento da volatilidade das bolsas internacionais em períodos turbulentos

Neste estudo é estudado o impacto da atual crise financeira global na volatilidade dos mercados bolsistas internacionais. Com este objetivo, foram analisados doze mercados bolsistas, desenvolvidos e emergentes, no período compreendido entre 4/10/1999 e 30/06/2011.

06.12.2016

Fiscalidade | Outros

Fátima David | Maria da Guia Coutinho | Maria Lúcia Marques

Sistema cooperativo em Portugal: Enquadramento legal

Esta investigação apresenta o enquadramento legal do sistema cooperativo em Portugal, na medida em que o atual quadro jurídico se carateriza por um elevado grau de autonomia face à legislação civil e comercial reguladora das demais formas de pessoas coletivas admitidas no direito português.